A Cidade de Cristal

A luz da lua iluminava o meu quarto, entrando como um feixe através da cortina entreaberta. Mais uma vez o mesmo sonho estranho: a floresta misteriosa. Entretanto, havia algo mais bizarro do que o próprio sonho. Um perfume de flores dominava o ar do cômodo, uma doce lembrança da clareira. Acendi a luz. Sobre o travesseiro, repousava uma linda margarida, ainda úmida, como recém-colhida de um campo coberto por orvalho. Como os demais sonhos naquele lugar, este havia sido nítido e quase real. Os meus pés pareciam ainda úmidos pelo contato com a grama. Porém, o perfume suave no quarto e a presença da flor iam além de qualquer sonho, ultrapassavam o limite da realidade e, talvez, da sanidade.

A vida da Elorá não era fácil. Abandonada pela mãe, órfã de pai, perseguida na escola, morando com uma tia rabugenta e com poucos amigos, sentia-se deslocada. Sua história parecia uma sucessão de desastres, enfadonha e sem cor. Conta apenas com seus amigos Leila e Gabriel e com o carinho de seu irmão. Sua orientadora Iris, espelho para sua carreira e dona de sua confiança, acaba a traindo, jogando o talento de Elorá na latrina na frente de toda a universidade.

Traída, sem esperanças em seu trabalho como pintora e presa em um mundo onde não se encaixava, encontra o caminho para a liberdade através de seus sonhos. Uma viagem onírica transporta a garota para um novo universo, abrigo de um Reino Secreto de maravilhas inimagináveis. Elorá conhece o Reino das Sonhos, lar das criaturas feericas, dotadas de beleza e carisma. Reencontra a mãe que havia a abandonado como regente do Clã dos Sonhos, uma belíssima cidade de cristal, envolvida com a imaginação e criatividade dos seres humanos.

Entretanto, mesmo neste lugar aparentemente perfeito, se escondem perigos e segredos. Elorá vê seu futuro e passado ligados àquele Reino e seu mundo de sonhos começa a ruir, transformando-se em um pesadelo do qual não pode acordar. A nova realidade, cercada por guerras, maldade e um destino já traçado consome a garota. Forçada a tomar decisões difíceis, Elorá deverá optar entre o seu novo amor e a sua missão, entre o seu mundo enfadonho e tranquilo ou uma nova realidade cheia de descobertas, mas com inúmeras responsabilidades.

Seria o fim da vida de Elorá? Ou o começo de uma nova? Talvez o mundo normal não fosse tão ruim…

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s